Conheça um pouco da história do Dia 1º de Maio

O dia 1º de maio, o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora é uma data para celebrar as conquistas dos trabalhadores e das trabalhadoras ao longo da história. Mas, é também dia de resistência e luta, pois essas conquistas e os sindicatos vêm sofrendo ataques por meio das reformas e medidas provisórias que os últimos governos vêm aprovando o que tem gerado a perda de direitos históricos adquiridos, desemprego, fome, alto nos preços dos alimentos, gás de cozinha e combustíveis.  

O dia 1º de maio foi estabelecida em 1889 pela Segunda Internacional Socialista, um congresso realizado em Paris que reuniu os principais partidos socialistas e sindicatos de toda Europa.

Ao escolher 1º de maio como Dia do Trabalho, os participantes desse encontro prestaram uma homenagem aos operários da greve ocorrida na cidade de Chicago (EUA) no ano de 1886. A data foi marcada pela reunião de milhares de trabalhadores e trabalhadoras que reivindicavam a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias.

No Brasil, a data foi consolidada em 1924. Além disso, a partir do governo de Getúlio Vargas, as principais medidas de benefício aos trabalhadores passaram a ser anunciadas nessa data. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) foi anunciada no dia 1º de maio de 1943, por Getúlio Vargas. Por muito tempo, o reajuste anual do salário mínimo também acontecia neste dia. Atualmente, inúmeros países adotam o dia 1° de maio como o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, sendo considerado feriado em muitos deles.

 

Por isso é imprescindível que a classe trabalhadora esteja unida para preservar e ampliar os direitos que ainda temos e fortalecer os sindicatos pois é através deles que podemos nos mobilizar, resistir e lutar.